Apresentação Monografia Temática

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização da Agenda 2030

 Apresentação da publicação:

Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável das sociedades. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conformam uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.

A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos/as e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais com base na discussão sobre processos de cooperação para o desenvolvimento sustentável e está aberta a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.Para tanto foram criadas 17 linhas de publicação; tantas quantos os ODS.
O principal objetivo da publicação temática é desenvolver o diálogo académico sobre a promoção de sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
A publicação pretende ainda abrir o debate epistemológico sobre as temáticas que relacionam a paz e a justiça numa perspetiva internacional, e refletir sobre o acesso à justiça transversal nas sociedades bem como sobre a construção de instituições eficazes, responsáveis e inclusivas.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

A monografia temática é por isso aberta a visões multidisciplinares, recebendo propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, aceitando por isso trabalhos sobre estudo/s de caso, revisão de literatura, empíricos, metodológicos qualitativos ou quantitativos, sobre modelos, processos e/ou instituições que reflitam, entre outros tópicos, sobre a erradicação da pobreza e da fome, a igualdade de género e a promoção da igualdade, inclusão, saúde e a educação enquanto direitos fundamentais e a promoção da dignidade da pessoa humana.

A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Laboram-se críticas a falências ou sucessos das políticas de promoção de sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável e concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Cooperação; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos.

Ficha Técnica
Coleção: “Debates XXI”
Edição: JUS.XXI
ISBN: 978-989-54998-2
DOI: (Aguarda)
 Formato: E-book
(Submissão no sistema Web of Sciense)
Publicação: Fevereiro 2021

Coordenação:
Marco Ribeiro Henriques – marco.henriques@ismt.pt / marco.henriques@novalaw.unl.pt   
Assistente Convidado no Instituto Superior Miguel Torga em Coimbra e investigador na área dos direitos humanos. Doutorando em direito pela NOVA School of Law (NSL).

Daniela Serra Castilhos – dcastilhos@uportu.pt
Professora Auxiliar da Universidade Portucalense. Doutora em Direitos Humanos pela Universidade de Salamanca. Coordenadora do Módulo Jean Monnet The European Union as a Global Player for Democracy and Fundamental Rights.

Guidelines para Publicação

  • Os artigos a submeter deverão ser obrigatoriamente originais, ter rigor científico e cumprir escrupulosamente com as normais editorias.
  • Artigos completos, apenas, nos formatos doc. ou (reprovação automática se apresentados em formato PDF)
  • Redigidos num máximo de 10 páginas (incluindo todos os elementos que compõem o texto: pré-textuais, elementos textuais e elementos pós textuais).
  • Os artigos devem, além do texto, conter os seguintes itens:
    1. Título do trabalho no idioma redigido (centralizado no topo da página – caixa alta, corpo 12 e negrito) e título em inglês (centralizado no topo da página – caixa baixa, corpo 12 e negrito);
    2. Nome do/a autor/a (ou autores/as) à esquerda;
    3. Em nota de rodapé deve estar a qualificação (afiliação e situação académica);
    4. Resumo (entre 200 e 400 palavras), 5 palavras-chave (separadas por ponto e vírgula);
    5. Considerações finais e referências;
    6. Não há índice.
    7. São admitidos imagem, gráficos, sublinhados ou similares.
  • Os parágrafos devem ter entrelinhas 1,5;
  • O corpo textual deve ter fonte em tamanho 12;
  • As notas de rodapé devem ter a fonte em tamanho 10;
  • Os artigos devem conter margem simples (Superior 2,5 cm; Inferior: 2,5 cm; Esquerda: 3 cm; Direita: 3 cm) e ter o texto justificado;
  • Os artigos podem ser escritos em português, espanhol ou inglês. Em qualquer caso, devem ser incorporados no idioma do artigo; e em inglês, o título, o resumo e as palavras-chave;
  • As referências bibliográficas de acordo com a Normas APA 7.º edição (os artigos que tenham outra norma serão automaticamente excluídos);
  • Há preferência por artigos que utilizem referências em formato completo em notas de rodapé ao final de cada página, mas não ficam excluídas as citações no corpo do texto;
  • A bibliografia utilizada deve constar ao final do trabalho em ordem alfabética;

A submissão realiza-se por email para  cedh2020@cedh.pt até às 18:00 (hora de Lisboa) do último dia de prazo indicadono assunto “Call for Papers + Ref.ª de inscrição na CEDH2020”.

  1. Organizadores do Número Temático

Marco Ribeiro Henriquesmarco.henriques@ismt.pt   
Assistente Convidado no Instituto Superior Miguel Torga em Coimbra e investigador na área dos direitos humanos. Doutorando em Direito NOVA School of Law (NSL).

Daniela Serra Castilhosdcastilhos@uportu.pt
Professora Auxiliar da Universidade Portucalense. Doutora em Direitos Humanos pela Universidade de Salamanca. Coordenadora do Módulo Jean Monnet The European Union as a Global Player for Democracy and Fundamental Rights.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 1 – Erradicar a Pobreza

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre a erradicação da pobreza e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Pobreza; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a erradicação da pobreza em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 2 – Erradicar a Fome

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre a erradicação da fome e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa. Questionamentos estes que colocam em destaque a importância de incorporar a dimensão sustentabilidade nas abordagens a ser desenvolvidas e/ou aplicadas nos distintos campos de conhecimento e ação.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas na concretização dos sistemas sustentáveis de produção e distribuição de alimentos para a concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Fome; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a erradicação da fome em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional refletindo sobre a consistência, as potencialidades e os desafios para a implantação de estratégias na realização do objetivo proposto, considerando a transversalidade, a sua governança e gestão estratégica.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater este flagelo; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta na luta contra a pobreza e propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.
Pretende-se que através de princípios teóricos e metodológicos se expresse a multiplicidade de respostas necessárias à erradicação da fome, ao alcance da segurança alimentar e melhoria da nutrição bem como da promoção de uma agricultura sustentável

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 3 – Saúde de Qualidade

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas num conjunto coerente de debates que empírica e teoricamente avancem a compreensão do tema em epígrafe, capazes de enquadrar e apresentar uma perspetiva relativa aos desafios que se colocam ao acesso universal à saúde.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre as orientações para garantir uma saúde de qualidade e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas na concretização da justiça social sobre os desafios à aquisição por todos os povos do nível de saúde mais elevado procurando criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Saúde de qualidade; Oportunidades; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:
O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a acerca da importância de garantir o acesso à saúde de qualidade e promover o bem-estar dos/as cidadãos/ãs, a nível nacional, regional e internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater este flagelo; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta na luta contra a pobreza e propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 4- Educação de Qualidade

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
Esta proposta tenciona reunir um conjunto coerente de debates que empírica e teoricamente avancem na compreensão – capazes de enquadrar e apresentar investigação/pesquisa que relacionam os desafios, metas e as abordagens sobre a garantia do acesso à educação inclusiva, de qualidade e equitativa.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre a educação de qualidade e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Educação; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a sobre a importância de garantir o acesso à educação inclusiva, de qualidade e equitativa, a nível nacional, regional e internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre a promoção de oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos e os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater este flagelo, reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos e propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 5 -Igualdade de Género

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre a igualdade de género e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
Pretende-se que o saber teórico-prático permita discernir sobre o real impacto que a (des)igualdade representa, a gerência dos desafios intrínsecos à temática e a (re)formulação das abordagens locais, nacionais e internacional na promoção deste princípio.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas e das medidas destinadas a apoiar ou reforçar a promoção da igualdade de género e empoderamento feminino.
Elencam-se parte deste processo, e como veículo para o objetivo em causa, a eliminação de todas as formas de discriminação, bem como formas de violência, tráfico e exploração e práticas nocivas das liberdade e direitos de mulheres e meninas; tratando-se de uma questão de direitos humanos e uma condição de justiça social, é igualmente necessário o gozo das mesmas oportunidades, rendimentos, direitos e obrigações: sejam no acesso à educação, nas oportunidade no trabalho e carreia, no acesso à saúde, poder e/ou influência, e até mesmo na melhoria da sua saúde sexual e reprodutiva. na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Género; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico questões da igualdade de género em diferentes setores da vida social, a nível nacional, regional e internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 6 – Água Potável e Saneamento

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
É premente a reflexão sobre a gestão deste recurso, para além do consumo responsável, de modo a evitar perdas e desperdícios e a qualidade adequada e variedade de fontes consoante a finalidade.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre a disponibilidade e consumo de água em qualidade como fundamental para a dignidade e direitos humanos e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas na gestão sustentável de recursos e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base no reconhecimento do desenvolvimento social e da prosperidade económica sobre situação atual e as tendências nos âmbitos global e regional e sobre o que é necessário fazer ainda para atingir este objetivo na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; água e saneamento; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a a disponibilidade e consumo de água em qualidade como fundamental para a dignidade e direitos humanos em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional. Pretende-se assim que através desta análise a perceção deste recurso natural seja como recurso de elevada relevância, com necessidade de gerenciamento sustentável, consumo moderado e manutenção de abastecimento.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 7 – Energias Renováveis e Acessíveis

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 das Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre o acesso e produção de energias renováveis e acessíveis a todos/as, aspetos basilares ao sucesso das orientações para garantir o acesso universal a segurança e a eficiência energética bem como a um mercado interno de energia plenamente integrado, sempre aliado à investigação, inovação e competitividade.
Discutem-se diferentes perspetivas, suportadas pela literatura e princípios legais – nacionais e internacionais; elaboram-se críticas a falências ou vitórias políticas na gestão sustentável de recursos e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base no reconhecimento do desenvolvimento social e da prosperidade económica sobre situação atual e as tendências nos âmbitos global e regional e sobre o que é necessário fazer (ainda) para atingir este objetivo.
A produção de energia renovável é necessária em todo o mundo, apenas possível através da expansão de infraestruturas e da atualização da tecnologia sobre o fornecimento de energia limpa.
O presente eixo temático é aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas acesso e produção de energias renováveis na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; energias renováveis; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a o acesso e produção de energias renováveis e acessíveis a todos/as em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
A publicação pretende assim, que através desta análise seja possível a adoção de políticas nacionais e internacional de energia, com preservação dos recursos naturais e do equilíbrio ecológico.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 8 – Trabalho Digno e Crescimento Económico

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
Pretende-se ainda refletir sobre a promoção de atividades produtivas, geração de empreendedorismo, criatividade e inovação, bem como, incentivar o crescimento empresarial, reduzir a proporção de jovens sem emprego, educação ou formação.
Esta proposta pretende abrir o debate académico sobre as temáticas que relacionem o desenvolvimento económico e boas práticas, proteção dos direitos do trabalho e formação e promover políticas de apoio.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais pensados a partir da necessidade de criação de oportunidade para captar todo o potencial humano junto com investimento em formação e qualificação, a promoção do crescimento económico inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho digno para todos e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.  Questionamentos que se erguem sobre a importância de criação de emprego e na aposta na qualificação das pessoas, os novos desafios da sociedade e a sua resposta à economia sustentável bem como políticas associadas ao empreendorismo como potenciadores criativos individuais e coletivos.
Este número temático é aberto a todas e diferentes visões disciplinares do meio económico e laboral, com especial enfoque na promoção de um crescimento económico inclusivo e sustentável e emprego pleno, produtivo e digno para todos.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas de promoção do crescimento económico inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e o trabalho digno para todos em todas as suas formas para a concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Trabalho digno; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a sobre a promoção do crescimento económico inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho digno para todos em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 9 – Indústria

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
Pretende-se ainda refletir sobre a eficiência no uso dos recursos e a adoção de processos industriais ecológicos, incentivar a investigação científica e inovação, melhorar conhecimento das capacidades tecnológicas e dinamizar a investigação e desenvolvimento neste domínio.
Esta proposta pretende abrir o debate académico sobre as temáticas que relacionem o desenvolvimento económico e boas práticas, investimento em infraestruturas, indústria e inovação e promoção de políticas de apoio.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais pensados a partir da necessidade de construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação sobre o desenvolvimento e promoção de infraestruturas e industrialização sustentáveis e inclusivas capazes de apoiar o desenvolvimento económico e bem-estar, assim como, aumentar a contribuição da indústria para o emprego e PIB e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa. Questionamentos que se erguem sobre a importância da aposta na inovação e conhecimento como elemento diferenciador e potenciador do capital humano e qualidade de vida; e também a materialização de ideias para a sustentabilidade competitiva a médio e longo prazo.
É aberto a todas e diferentes visões disciplinares do meio económico e bem-estar humano, com especial enfoque na promoção de um crescimento económico inclusivo e sustentável, produtivo e digno para todos.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas para o desenvolvimento e promoção de infraestruturas e industrialização sustentáveis, inclusivas e resilientes capazes de apoiar o desenvolvimento económico e bem-estar, assim como, aumentar a contribuição da indústria para o emprego e PIB na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Industria; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a desenvolvimento e promoção de infraestruturas e industrialização sustentáveis, inclusivas e resilientes capazes de apoiar o desenvolvimento económico e bem-estar, assim como, aumentar a contribuição da indústria para o emprego e PIB em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A publicação foca-se no debate sobre as temáticas que versam a coesão social, a oportunidade igual para todos, e boas práticas governativas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais pensados a partir da atenção voltada às comunidades e indivíduos mais fragilizados, o entendimento da educação, do emprego e a capacidade de atuar como recursos de valorização humana e promotores de igualdade e ainda questionar os princípios de transparência dos processos legais sobre a redução das desigualdades e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas de redução das desigualdades para a concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Desigualdades; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a redução das desigualdades em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
sobre a redução das desigualdades no espaço internacional e nacional.
Pretende-se ainda refletir sobre a atenção voltada às comunidades e indivíduos mais fragilizados e vulneráveis; sobre modelos governativos e as suas estratégias de atuação; bem como os princípios de transparência em modelos de governança.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais pensados sobre o processo de tornar as cidades e comunidades inclusivas, seguras, resiliente e sustentáveis e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa. Questionamentos que se erguem sobre garantir o acesso de todos à habitação, serviços básicos e sistema de transporte; estabelecer partilha de responsabilidade na construção coletiva de um ambiente urbano participativo, integrado e sustentável; promover a diversidade social; e reforçar a sustentabilidade das cidades.
Tratando-se de uma publicação aberta a visões multidisciplinares, recebe propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, bem como investigações com carácter empírico.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas para o desenvolvimento de cidades e comunidades sustentáveis na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Cidades sustentáveis; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre cidades e comunidades sustentáveis. Pretende-se ainda o diálogo sobre a valorização do recurso; a qualidade de vida dos residentes; sentido de espírito comunitário, salubridade ambiental e a segurança dos demais. em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
A publicação pretende abrir o debate sobre as temáticas relacionadas com prioridades políticas, dinamização social, económica e cultural.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 12 – Produção e Consumo Sustentáveis

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
O consumo sustentável advém da capacidade em dinamizar a economia local através dos recursos naturais do seu contributo na economia local.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre padrões de consumo e de produção sustentáveis capazes de garantir desenvolvimentos para alcançar o objetivo exposto. Questões como: capacidade de um território singular e competitivo captar mais investimento e disponibilizar um maior leque de oportunidade, assegurando gerações futuras; produção de resíduos, emissões poluentes e outros impactes acautelados pela eficiência, de acordo com os princípios da economia sustentável e circular; serem capazes de reduzir a pegada ecológica com respeito pela identidade das comunidades, estando por isso aberta a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa, recebendo propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, bem como investigações com carácter empírico.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas de consumo e de produção sustentáveis em todas as suas formas para a concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Consumo sustentável; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a padrões de consumo e de produção sustentáveis em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
A publicação pretende ainda o diálogo sobre a desmaterialização, economia colaborativa e consumo sustentável, conceção de produtos, uso eficiente e valorização de recurso; modelos de produção e consumo; práticas de compras públicas ecológicas e sustentáveis; acesso à informação e participação pública na tomada de decisão.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 13 – Ação Climática

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
O direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado é constitucionalmente consagrado e prevê o desenvolvimento sustentável como valor social iminente. Desta forma, o combate às alterações climáticas é fundamental não só para a manutenção dos recursos naturais como para a sua disponibilidade em gerações futuras.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre a alteração climática e os seus impactos com base na adoção de medidas urgentes para combate às alterações climáticas e os seus impactos e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
As linhas orientadoras passam pela análise crítica às diretrizes à concretização do objetivo. A promoção da resiliência tem ainda impactos imediatos na qualidade de vida e competitividade do território, devendo-se apostar em medidas assentes na inovação, tecnologia e valorização ambiental e humana.
Este número é aberto a visões multidisciplinares, recebendo propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, bem como investigações com carácter empírico.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas no âmbito da ação climática na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Alterações climáticas; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre alteração climática e os seus impactos em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
O objetivo deste número temático é promover o debate académico sobre a alteração climática e os seus impactos. Pretende-se ainda o diálogo sobre as caraterísticas e padrões das ações climáticas bem como a adoção de medidas urgentes para combater as alterações. Esta proposta intenta ao debate epistemológico sobre as temáticas que relacionam o ambiente e a ação climática numa perspetiva internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 14 – Proteger a Vida Marinha

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
O meio marinho apresenta ecossistemas de grande complexidade com funções ecológicas vitais, suportando uma elevada biodiversidade e fornecendo inúmeros recursos e serviços. No entanto, a crescente pressão provocada pelo aumento das atividades humanas contribui para desafios na manutenção do património natural, com consequências a nível ecológico e a nível socioeconómico.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais com base na adoção de medidas urgentes para a proteção da vida marinha e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
As linhas orientadoras passam pela consideração da sensibilização das populações como elemento-chave para o sucesso das políticas ambientais; potenciar as áreas de investigação e fiscalização assim como o conhecimento científico.
Este número é aberto a visões multidisciplinares, recebendo propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, bem como investigações com carácter empírico.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas na adoção de medidas urgentes para a proteção da vida marinha na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Vida marinha; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a sobre a conservação e uso, de forma sustentável, dos oceanos, mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
Pretende-se ainda refletir sobre o desenvolvimento local, nacional e internacional das comunidades costeiras; conhecer sobre políticas de vigilância marítima.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Esta proposta pretende abrir o debate epistemológico sobre as temáticas que relacionam o ambiente e a ação climática numa perspetiva internacional. A coexistência com a biodiversidade e o património natural é um elemento chave para a definição de identidade e distinção de um estado. Quer a nível local, nacional ou internacional.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre a proteção, restauração e promoção do uso sustentável dos ecossistemas terrestre e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
As linhas orientadoras passam pelo reconhecimento e relevância da diversidade biológica; consideração da conservação como condição essencial ao desenvolvimento sustentável; e a sensibilização das populações como elemento-chave para o sucesso das políticas ambientais.
Este número é aberto a visões multidisciplinares, recebendo propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, bem como investigações com carácter empírico.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas de proteção, restauração e promoção do uso sustentável dos ecossistemas terrestre para a concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Proteção da vida terrestre; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a sobre a proteção, restauração e promoção do uso sustentável dos ecossistemas terrestre em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
A publicação pretende ainda refletir sobre a gestão de forma sustentável das florestas, combate à desertificação, impedimento e reversão da degradação dos solos e da perda da biodiversidade.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do do ODS 16 – Paz, Justiça e Instituições Eficazes

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
A eficácia e eficiência das instituições são asseguradas pela capacidade de resposta aos anseios dos cidadãos e das suas necessidades num contexto inclusivo e participativo onde toda a comunidade pode contribuir na escolha das políticas bem como na própria execução de ideias ou projetos, entre outros.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais com base na discussão sobre processos transparentes com partilha de informação adequada aos diferentes estratos sociais e etários; e refletir sobre cooperação institucional e descentralização entre diferentes órgãos governativos e mesmo entidades de âmbito não-governamental e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
Este número é aberto a visões multidisciplinares, recebendo propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, bem como investigações com carácter empírico.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas de promoção de sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável e concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Justiça; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre a promoção de sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
A publicação pretende ainda abrir o debate epistemológico sobre as temáticas que relacionam a paz e a justiça numa perspetiva internacional; e refletir sobre o acesso à justiça transversal nas sociedades bem como sobre a construção de instituições eficazes, responsáveis e inclusivas.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.

Coleção: “Debates XXI”

Título: Perspetivas e desafios plurais para concretização do ODS 17 – Parcerias Para A Implementação Dos Objetivos

Apresentação a publicação:

A Agenda 2030 da Nações Unidas é um programa amplificado que apresenta várias dimensões do desenvolvimento sustentável para a promoção da paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Agenda 2030 conforma uma visão comum para a Humanidade, apenas possível através da cooperação e colaboração das sociedades comprometidas no respeito pelas das prioridades e aspirações que são pronunciadas na Agenda 2030.
A Conferência Euroamericana para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos: Agenda 2030 – Um Novo Capítulo para a Evolução dos Direitos Humanos (CEDH2020) permitiu, não só, uma reflexão integrada sobre a Agenda 2030, facilitando a articulação da investigação e do debate académico sobre os diferentes ODSs, como também, possibilitou o networking entre académicos e especialistas nestas áreas, promovendo o desenvolvimento e agregação de redes de investigação internacionais e multidisciplinares.
Propondo-se reunir os saberes de académicos e especialistas, a nível internacional, habilitados/as contribuir para a investigação, implementação e concretização destes objetivos e reflexão de boas práticas na implementação da Agenda 2030 da Nações Unidas.
Esta publicação pretende abrir o debate epistemológico sobre as temáticas que relacionam a cooperação e o desenvolvimento sustentável numa perspetiva internacional.
As geminações internacionais garantem a expansividade da ação – nacional ou internacional – bem como a captura das melhores práticas, uma visão transparente que alarga a capacidade de impacte.
A presente publicação parte de questionamentos multidisiciplinares e interseccionais sobre com base no debate sobre estabelecimento de parcerias capazes de promover respostas para os desafios específicos das metas e melhorias efetiva dos seus indicadores bem como sobre a partilha de responsabilidades e maior autonomia para a ação de cada um: indivíduo, empresa, instituição, órgão governamental e está aberto a todas e diferentes visões disciplinares e metodológicas da investigação/pesquisa.
Este número é aberto a visões multidisciplinares, recebendo propostas que consubstanciem estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, bem como investigações com carácter empírico.
A publicação propõe-se discutir as diferentes perspetivas teóricas, suportadas pela literatura e princípios gerais, legais, nacionais e internacionais. Labora-se críticas a falências ou sucessos das políticas para o estabelecimento de parcerias capazes de promover respostas para os desafios específicos das metas e melhorias efetiva dos seus indicadores bem como sobre a partilha de responsabilidades e maior autonomia para a ação de cada um: indivíduo, empresa, instituição, órgão governamental na concretização da justiça social e procura-se criar enquadramentos sólidos, com base em estratégias de desenvolvimento em prol dos mais vulneráveis.

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável; Sustentabilidade; Agenda 2030; Direitos Humanos;

Objetivo:

O principal objetivo do eixo temático é promover o diálogo académico sobre o envolvimento e reforço dos meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável em todas as suas formas, a nível nacional, regional e internacional.
A publicação pretende ainda refletir sobre a cooperação regional e internacional; discernir sobre a coerência das políticas para o desenvolvimento bem como analisar o impacto da mobilização de recursos adicionais.
Pretende-se ainda refletir sobre os esforços necessários quer dos mais vulneráveis quer das instituições que lutam para combater esta assimetria social; reconhecer a resposta multidimensional centrada nos direitos humanos como ferramenta de construção de sociedades mais justas e inclusivas, bem como propor boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com os mais vulneráveis e na construção de recursos aos países envolvidos.